“Vinte Garotos no Verão” é uma leitura que pode te surpreender muito

EM Resenhas
karina
2 semanas atrás

Vinte-Garotos-no-veraoLivro: Vinte Garotos no Verão
Autor: Sarah Ockler
Tradução: Paulo Polzonoff Jr.
Nota: 4/5
Editora: Novo Conceito
Páginas: 288

Peguei “Vinte Garotos no Verão “ na estante porque queria uma leitura rápida e uma história levinha; a leitura foi bem rápida mesmo, mas o conteúdo não é tão levinho quanto a capa diz não.

Em “Vinte Garotos no Verão” temos uma história em primeira pessoa contada do ponto de vista da Ana. A trama gira em torno dela e de mais 2 outros amigos, a Frankie e o Matt (que são irmãos), os 3 são praticamente uma só pessoa, amigos e vizinhos desde pequenos, a dinâmica entre eles flui perfeitamente; logo no começo do livro Ana nos conta que é apaixonada por Matt; e ele, após um pedaço de bolo na cozinha, corresponde a esse amor com um primeiro beijo; Frankie fica de fora dessa novidade até que Matt arruma uma maneira de contar a irmã sem que ela se sinta colocada para fora do grupo que sempre pertenceu.

A história se passa naquele tom com gostosinho de romance as escondidas, amizades perfeitas, até que num dia qualquer, sem aviso nenhum do destino, Matt sofre um acidente de carro e morre (calma isso não é um spoiler, está lá na primeira página) é aí que o livro ganha um tom mais profundo.

“Reproduzi os eventos daquele dia centenas de vezes, procurando dicas. Um fim alternativo. Um efeito borboleta. Se Frankie e eu não tivéssemos tomado sorvete naquele dia estúpido, ele ainda estaria vivo. Se eu não tivesse atiçado seu coração, beijando-o todas as noites desde meu aniversário, ele ainda estaria vivo. Se eu não tivesse nascido, ele ainda estaria vivo. Se tivesse encontrado a borboleta que bateu as asas antes de entrarmos no carro naquele dia, eu a esmagaria.”

A trama se desenvolve um tempo depois da morte de Matt, onde Ana não teve a oportunidade de dizer a Frankie que não só perdeu o melhor amigo, mas também o primeiro amor, onde Frankie não sabe como lidar com a morte do irmão e nem com o afastamento/sofrimento da amiga. Ana se refugia no diário, Frankie tornou-se uma garota rebelde, superficial e perdida em suas próprias maneiras de lidar com o luto. Para se reencontrarem e descobrirem como continuar aquela amizade sem um dos integrantes do trio, Ana faz aquela viagem de verão que Frankie não fez com Matt.

“Apenas engulo em seco. Faço que sim e sorrio. Um pé diante do outro. Estou bem, obrigada por não perguntar.”

A trama também aborda romances juvenis, amizade e primeiras vezes, tudo o que é típico da adolescência, mas a cereja do bolo no livro é como tudo é balanceado pelos questionamentos da dor de se perder alguém ou de como lidar com essa dor; trata-se de como pais que perdem um filho tem que lidar com a dor e ainda seguir em frente pelo outro filho que ficou, ou de não só aprender a lidar com a sua dor, mas entender a dor do outro. Não é um livro que vai te transformar em uma poça de lágrimas, mas certamente vai lhe causar algumas reflexões.

Vinte-Garotos-no-Verao1

“Vinte Garotos no Verão “ é uma leitura triste e reflexiva que não te sufoca e consegue ao mesmo tempo, com uma escrita fluida, te dar esperança de que mesmo quando tudo parece sem sentido, é possível reorganizar os pedacinhos e seguir em frente. Além disso, o título combina perfeitamente com a jornada das personagens.

“Na verdade, as coisas não vão embora. Elas se transformam em algo diferente. Em algo mais bonito.”

Com uma capa que faz muito sentido ao conteúdo do livro, a diagramação é boa e as páginas ainda contam com detalhes fofos que remete a férias de verão. Se você procura por uma história despretensiosa que vai lhe marcar, com certeza “Vinte Garotos no Verão” pode ser o que você procura.

karina
Sobre karina

Biomédica por formação , bookaholic por paixão !

 

COMENTÁRIOS

  • Lara Caroline

    Oi Karina, tudo bem?
    Que história triste, mas ao mesmo tempo cheia de ensinamentos. Gostei basante da premissa do livro, que parece ser bem adolescente, mas mesmo assim me deixou curiosa pela leitura. Ótima resenha!
    Beijos