“Rock Star” apresenta a intensidade de Kellan Klye da “Trilogia Rock Star”

EM New Adult
Glauce
3 meses atrás

Rock-Star1Livro: Rock Star
Autor:  S. C. Stephens
Tradutor: Renato Motta
Série: Trilogia Rock Star – Livro 1,5
Nota: 4/5
Editora: Valentina
Páginas: 512

“Rock Star” vai contar a história de “Intenso Demais” (1º Livro da Trilogia Rock Star), porém pela visão do Kellan Kyle.

Kellan Kyle é o vocalista da banca D-Bags, um menino que só quer saber de aproveitar a vida e encontra nas mulheres um meio de sentir algo, sendo que cada noite é uma mulher diferente. Porém, tem o seu mundo virado de ponta cabeça quando o seu melhor amigo se muda para sua casa com a namorada, pois Kiera é tudo o que ele sempre quis, mas é tudo o que não pode ter. Kiera é a namorada de Denny, seu melhor amigo, que durante a infância foi seu porto para enfrentar os abusos e negligências que sofria dos pais. Kellan, sem saber o que fazer com os sentimentos, acaba tentando não senti-los, mas as coisas perdem o rumo e se complicando depois de uma viagem de Denny a trabalho.

“Felicidade ilusória era melhor do que nenhuma.”

Vou ser sincera, fiquei meio com um pé atrás de pegar esse livro para ler, por ser o #1.5, já que eu não tinha lido o primeiro que é pelo ponto de vista Kiera; e por se tratar de um triângulo amoroso, uma coisa que não me atrai muito. Mas ainda bem que eu peguei para ler, porque me surpreendeu e eu passei a gostar do Kellan e querer bater na Kiera.

O livro é narrado em primeira pessoa exclusivamente pelo ponto de vista do Kellan, que se mostra um cara muito fofo  – eu sei que os homens não gostam de ser chamados de fofos, mas fazer o que, ele foi fofo, atencioso, mesmo tendo cara de bad boy. Sua narrativa é carregada de emoções enquanto tenta esconder o que sente, porém, apesar de falar que está bem, em sua mente ele tende a debulhar o que está sentindo realmente. Tudo o que deseja é ser bom e amado por alguém, mas ele tem a sensação de que nada que faça é o suficiente para que isso aconteça.

Por ser um triângulo amoroso, sempre vai ter um que vai sofrer, um que está no muro e outro que não sabe de nada ou que vai entrar na briga para ter a pessoa em cima do muro. Nesse caso, Kellan é quem sofre, Kiera está no muro e Denny não sabe de nada. E quando eu digo que Kellan sofre, ele sofre mesmo. Em cada momento que a Kiera fazia ele sofrer, eu queria entrar no livro e bater nela, ainda mais quando vinha com as frases “Preciso de um minuto”, “Mais tempo”. Sério, que raiva dessa garota, merecia uns tapas para largar de ser egoísta, ela pode ficar com o namorado, mas acha ruim quando o Kellan tenta seguir em frente, pede para ele ficar, não a deixar, mesmo falando que não pode deixar o Denny.

“Qualquer fragmento de si mesmo que ela estivesse disposta a me dar estava bom, desde que eu conseguisse algo”

Pode ser que pela narrativa dela a coisa seja diferente, seja mais compreensível as atitudes, mas pelo ponto de vista do Kellan, a Kiera estava me levando a loucura; ela aparentava ser uma personagem mimada, egoísta, fraca, que não consegue ser fiel ao que diz, fazendo-se de vítima, mudando de ideia a cada 10 segundos. Não tem coisa mais chata que gente que vive mudando de ideia, uma hora quer, na outra não quer; e ainda usar uma pessoa como estepe, porque era isso que parecia que a Kiera estava fazendo, usando o Kellan para ter um consolo de algo que ela não poderia ter naquele momento, e com isso fazendo o rapaz sofrer e criar esperança.

“Obrigado por arrancar meu coração fora. Obrigado por me mostrar algo que eu nunca poderei ter. Obrigado por estar tão linda hoje de manhã, dá até vontade de arrancar meus olhos. Obrigado por me ver como nada mais do que uma forma de relaxar.”

Mesmo tendo vários clichês, a autora sabe escrever um enredo viciante. Apesar da raiva, você continua lendo para entender e ver até onde o Kellan vai continuar recebendo as migalhas da Kiera e a recebendo de braços abertos; sofrendo horrores, ele sempre é carinhoso e a recebendo quando está disposta a lhe dizer sim, mesmo que esse sim vire um não logo em seguida.

“Às vezes, para dar a alguém a esperança, você tinha que acabar com a sua.”

Mesmo se tratando de um livro de páginas brancas, para mim, isso não incomodou. A diagramação é muito boa. O tradutor e o revisor estão de parabéns, não tive nenhum problema durante a leitura, é tão bom quando isso ocorre. Depois desse livro, quero os outros, mesmo sendo pela visão da Kiera, quem sabe a minha vontade assassina não se aplaca com relação a ela, e quem sabe o Evan fique com a garota, Griffin encontre alguém a altura e Matt apareça mais.

Imagem1

O livro está mais que recomendado, mesmo querendo estrangular a Kiera metade do livro, e gritar para o Kellan ter um pouco de amor próprio, que ele é digno de ser amado e que é uma boa pessoa, eu gostei. Ele pode ser lido de modo independente, ele não contém spoiler dos próximos livros, já que trata exclusivamente do primeiro volume (Intenso Demais).

Glauce
Sobre Glauce

Sagitariana que ama sua liberdade física e emocional. Uma Biomédica Imunologista de formação, que nutri um paixão não tão secreta pela Bacteriologia e Aviação.... Viciada em livros, sendo uma bookaholic por opção e paixão, que sonha com o brevê... Uma pessoa que se pudesse passaria a vida em curso, uma hora aqui outra lá.

 

COMENTÁRIOS

  • Lara Caroline

    Oi Glauce, tudo bem?
    Não curto triângulos amorosos e não gosto muito de romance por isso não me interessei pela leitura. Acho que se você ler o livro com o ponto de vista da moça, talvez você consiga entendê-la um pouco, ou odiar mais ainda rsrsrs
    Beijos

    • Lara Caroline
    • Glauce

      Oi…
      Não te julgo, também não curto triangulo, mas esse livro uma amiga me aporrinhou tanto falando que era bom, que me convenceu a ler. Eu gostei do Kellan, não do trio, ele salvou a leitura, com relação ao livro na visão dela, eu acho que vou odiar ela mais ainda, porque é quase impossível que tenha uma justificativa plausivel para ela ser tão Kiera… Rsrsrs

  • Alessandra Fernandes

    Oi, Gluce!
    Foi uma delícia ler a sua resenha. Nunca li um livro que possuísse um triângulo amoroso, talvez seja pelo motivo de que me irrita bastante. Porém, gostei do que li aqui e de como toda a obra nos foi apresentada e criada.
    A capa é muito provocante e espero poder conferir todo este romance me breve!
    Bjs!

    • Alessandra Fernandes
    • Glauce

      Oi Alessandra!
      Se triangulo amoroso te irrita, então te falo, você vai se irritar, não com o triangulo em si, mas com a Kiera, já que ao meu ver para ser um triangulo as três parte tem que participar, e nesse uma delas, quase nem aparece. O Kellan salva a historia ele é muito fofo, atencioso, carinhoso, mesmo nas horas que a Kiera não merecia… Mas fazer o que. Rsrsrs.
      Beijos.

  • Mari Magalhães

    Sempre mantenho dois pés atrás antes de encarar um triângulo amoroso. Como eu não li o primeiro livro da série, não sei se a existência do “terceiro componente” é extremamente fundamental (porque convenhamos, em algumas obras, o casal principal sofre tanto ou o enredo é tão completo que não exigia a existência de um triângulo amoroso, mas o bendito está lá), portanto, não tenho a mínima ideia se, assim como você, suportaria o comportamento da Kiera. De qualquer modo, irei passar a dica.

    • Mari Magalhães
    • Glauce

      Oi Mari.
      “Terceiro componente” não é ativo, participante, mas está lá, meio que empacando, mas não é culpa dele, porque é complicado ser o culpado de algo do qual você nem sabe que está fazendo parte. Na vida real eu não suportaria o comportamento da Kiera, no livro eu quase não suportei, eu dava uns tapas nela mentalmente as vezes. Rsrsrs.
      Beijos.