“Estrelas Além do Tempo” é mais que uma historia sobre a Corrida Espacial

EM Não-Ficção
Glauce
1 mês atrás

Estrelas-Alem-do-Tempo-livroLivro: Estrelas Além do Tempo
Autor: Margot Lee Shetterly
Tradutor: Balão Editorial
Nota: 5/5
Editora: HarperCollins Brasil
Páginas: 352

Estamos em uma época em que as coisas evoluem e se tornam obsoletas muito rápido. Hoje essas evoluções tecnológicas são produzidas tanto por homens quanto por mulheres, sendo elas brancas ou negras, mas não foi assim há algumas décadas atrás, e é isso que o livro “Estrelas Além do Tempo” vem retratar.

A autora Margot Lee Shetterly é filha de um cientista, ela cresceu frequentando os campus da NASA, indo as festas, seus amigos eram filhos de funcionários da NASA, além de  ouvir histórias sobre as Computadores da Ala Oeste, a ciência tinha rosto de mulheres e negras, porém, infelizmente para o mundo isso não era verdade, o mundo não conhecia a histórias das mulheres negras que ajudaram na corrida espacial. E ela decidiu mudar isso. Os fatos começam a ser narrados no final dos anos 30, no auge da segregação racial.

Com a Segunda Guerra Mundial em curso, as mãos de obras começaram a ficar escassas, e diversos anúncios para mulheres começaram a aparecer e isso incluía as áreas para o governo. Porém, foi só depois da aprovação da Ordem Executiva 8802, que acabava com a segregação nas contratações e entrevista, que negros começaram a ser aceitos para empregos que antes era exclusivamente para brancos, mas mesmo assim com restrições. No entanto, essa nova ordem só contribuiu para a segregação e violência contra negros no país inteiro.

“Que os americanos de cor adotem o V duplo, VV, para a vitória dupla; o primeiro V para a vitória contra os inimigos de fora, o segundo V para a vitória contra os inimigos de dentro. Pois certamente esses que perpetram tantos preconceitos ofensivos buscam destruir a nossa forma de governo democrático tanto quanto as forças do Eixo”
“Como poderia um preto americano observar a aniquilação que ocorria na Europa sem compará-la com a sua própria luta de quatrocentos anos contra privações, cassações de direitos, escravidão e violência?”

Com o fim da Segunda Guerra Mundial, pensaram que finalmente teriam paz, mas o teste de uma bomba por parte da União Soviética e o lançamento do primeiro satélite por parte deles deixou os Estados Unidos em estado de alerta, dando início para Guerra Fria e a Corrida Aeroespacial. Em 1958, uma parcela dos cientistas soviéticos eram mulheres, enquanto nos Estados Unidos
mulheres e negros não eram facilmente aceitos e incorporados e tinham que brigar na justiça para conseguirem entrar em universidades. E isso levou ao questionamento, “Será que esse é o fator de estarmos perdendo a corrida espacial, negar educação a uma parcela da população?”.

Estrelas-Alem-do-Tempo-livro1

Foram exatamente essa parcela que contribuiu com a corrida aeroespacial, nomes como Dorothy Vaughan que passou de supervisora da Área Oeste de Computadores para a primeira mulher negra programadora do FORTRAN a treinar mulheres para o uso do mesmo; Mary Jackson se tornou uma das primeiras mulheres negras a se tornarem engenheira, porém nunca deixou seu lado educadora de lado, ela conciliou seu trabalho de cientista com o de palestrante, informando sobre o trabalho na NASA e incentivando negros e mulheres a lutarem por seus direitos de seguir carreira. Mas é o nome de Katherine Johnson que é o mais citado, pois foi através de sua contribuição que levou os Estados Unidos, levou John Gleen, a órbita da Terra, e alguns anos depois a outras missões espaciais, que iriam levar o homem à Lua.

O livro além de contar um pouco da história da NACA e como virou NASA, e da história de algumas mulheres que trabalharam na NACA/NASA, entre elas algumas negras, vem mostrar a luta contra a segregação, a batalha para conseguir uma educação igual aos brancos, o direito de andar e sentar em um ônibus sem ter que se preocupar se teria brancos em pé ou se estivesse no local reservado para os brancos, de poder frequentar qualquer lugar. Mas além da segregação, o preconceito com relação a mulheres.

“Como a mente feminina poderia processar algo tão rigoroso e preciso quanto a matemática?”
“Por que as computadoras teriam o mesmo desejo de reconhecimento que eles? Era essa pergunta que muitos engenheiros faziam. Afinal, eram mulheres.”

Vocês já devem ter ouvido falar, ou até mesmo assistido ao filme de mesmo nome, ambos são ótimos, merecem e muito a atenção disponibilizado a eles. Porém, eu tenho que ser sincera, o livro por mais incrível que seja, não creio ser para todos os públicos, ele é narrado na terceira pessoa, recheado de fatos históricos políticos e tecnológicos, com algumas explicações de física aerodinâmica, para alguns isso é muito interessante e empolgante, para outros não tem o mesmo efeito, podendo fazer com que a pessoa perca o foco ou o interesse na leitura por não conseguir entender ou se interessar por algumas coisas.

Mesmo com tudo isso, é um livro que eu recomendo, não precisa ser lido de uma vez, em um fim de semana, leve o tempo que precisar para lê-lo, porque essas mulheres merecem ser reconhecidas, pelo que elas fizeram e pelo que elas passaram e enfrentaram para chegar onde chegaram, e para que nós tivéssemos o futuro que temos agora.

Glauce
Sobre Glauce

Sagitariana que ama sua liberdade física e emocional. Uma Biomédica Imunologista de formação, que nutri um paixão não tão secreta pela Bacteriologia e Aviação.... Viciada em livros, sendo uma bookaholic por opção e paixão, que sonha com o brevê... Uma pessoa que se pudesse passaria a vida em curso, uma hora aqui outra lá.

 

COMENTÁRIOS

  • Lara Caroline

    Oi Glauce, tudo bem?
    Eu fico pensando aqui qual seria o motivo para tanto preconceito e segregação contra as mulheres, negros, homossexuais e isso simplesmente não entra na minha cabeça. Quando vi o trailer deste filme eu fiquei super curiosa para conhecer essas mulheres maravilhosas que lutaram pelos seus direitos, mas que mesmo assim conseguiram pouco destaque. Eu não sabia da existência dessas mulheres e isso é bem triste porque elas foram tão importantes.
    Eu pretendo muito ler o livro e assistir ao filme, e queria que todas as pessoas conhecessem essas três mulheres incríveis e muitas outras que também devem ter feito coisas grandiosas, mas que permaneceram no anonimato.
    Beijos