Especial Mulher: “Para Educar Crianças Feministas” – Chimamanda Ngozi Adichie

EM Não-Ficção
karina
2 mês atrás

Para-Educar-Criancas-Feministas-Chimamanda-Ngozi-AdichieLivro: Para Educar Crianças Feministas
Autora: Chimamanda Ngozi Adichie
Tradução: Denise Bottman
Nota: 5/5
Editora: Companhia das Letras
Páginas: 96

“Para Educar Crianças Feministas” é nossa escolha de hoje para o #EspecialMulher de 2017. A ideia do livro surgiu de uma carta que Chimamanda enviou a uma amiga que tinha se tornado mãe recentemente. O livro foi lançado ontem e se encontra disponível na versão e-book e física, no mesmo formato de “Sejamos Todos Feministas” que foi resenhado no LI no “Especial Semana da Mulher” de 2016.

“Para mim o feminismo é sempre uma questão de contexto. Não tenho nenhuma regra.”

A amiga IJEAWELE pediu conselhos a Chimamanda de como criar sua filha dentro do feminismo, num primeiro momento Chimamanda relata que não sabia bem como dar tais conselhos, pois essa tarefa pode ser muito árdua, mas devido sua relação com o tema, encarou o desafio e chegou à conclusão que talvez não seja tão difícil assim, basta com que nós encaremos a desconstrução de várias coisas que aprendemos a fim de criar um ser humano na nossa melhor versão.

“Nunca desculpe se por trabalhar[…] Por favor, não acredite na ideia de que maternidade e trabalho são mutuamente excludentes.”

São ao todo 15 conselhos que visam refletir sobre como nos influenciamos a maneira que crianças supostamente devem se portar, desde fatos que ocorrem no nosso dia a dia, as expectativas que elas devem criar com relação aos homens, a vida e ao próprio comportamento.

Saber cozinhar não é algo que vem pré-instalado na vagina.

Para-Educar-Criancas-Feministas1

O tom do texto é de uma conversa, tipo aquelas conversas que temos em nossos círculos sociais com amigas, mas por mais simples que possa ser, esses conselhos nos trazem questionamentos fundamentais. Esse é um livro de leitura rápida que deve ser relido periodicamente para que identifiquemos em nós o que queremos que seja o espelho da criação de uma criança; ao final chegamos à conclusão que a diferença entre os gêneros nunca foi o problema, essa deve até mesmo ser celebrada, o problema está na desigualdade de direito.

“Mesmo culturas que esperam que mulheres sejam sexy- como no ocidente-, não esperam que elas sejam sexuais.”

Chimammanda tem outros títulos já publicados no Brasil como “Americanah” (2014), “Hibisco Roxo” (2011) e “Meio Sol Amarelo” (2008), todos pela Companhia das Letras. E seu discurso do “Sejamos Todos Feministas” foi incorporado na música “Flawless” da Beyoncé; com esse novo lançamento esperamos que o discurso de “ Para Educar Crianças Feministas” seja incorporado na essência da humanidade, e claro, vale sempre lembrar que:

“Feminismo e feminilidade não são mutuamente excludentes.”

karina
Sobre karina

Biomédica por formação , bookaholic por paixão !

 

COMENTÁRIOS

  • Lara Caroline

    Oi Karina, tudo bem?
    Eu estou doida para ler este livro, acho super importante ensinar as meninas e aos meninos que não existem papéis de mulheres e papéis de homens e que cada um deve seguir um roteiro. O feminismo é essencial para criar uma sociedade com base na liberdade de escolha.
    Beijos