Dia de Clássico: “O Mágico de Oz” – L. Frank Baum

EM Clássico
karina
1 mês atrás

O-Magico-de-OzLivro: O Mágico de Oz
Autor: L. Frank Baum
Ilustrações: W.W. Denslow
Tradução: Sergio Flaksman
Nota: 4/5
Editora: Zahar
Páginas: 223

Dizem que “O Mágico de Oz’’ é a versão americana do clássico inglês “Alice no País das Maravilhas”, talvez seja por isso que demorei tanto a ler esse clássico (sou #TeamAlice); mas mesmo sem ler conhecia muito sobre a história por conta das famosas adaptações para o cinema.

Para quem nunca teve nenhum contado com a história, a trama é centrada na órfã Dorothy Gale que vive no Kansas com seu tio, tia e um cachorro chamado totó; num dia qualquer a casa é atingida por um ciclone, enquanto seus tios conseguiram se refugiar num tipo de porão, a Dorothy fica dentro de casa por conta do totó que havia fugido… e assim ela vai parar em Oz, por conta do ciclone que acaba levando a casa.

O-Magico-de-Oz1

Oz é um reino governado por um monarca e dividido em quatro regiões: Quadiling ao sul, Munchkin ao leste, Winkie ao oeste e Gillikin ao norte. No centro está a Cidade das Esmeraldas, capital do Reino que é ligada aos quadrantes pela Estrada dos Tijolos Amarelos, quando Dorothy chega a Oz, sua casa aterrissa em cima da Bruxa Má do Leste. Os moradores das terras do Leste ficam aliviados e felizes por Dorothy derrotar a Bruxa Má do Leste (mesmo que ela não tenha tido a intenção), e a presenteiam com os sapatinhos de PRATA da bruxa má (essa é a diferença mais gritante com relação a adaptação do filme onde o famoso sapatinho é vermelho).

O-Magico-de-Oz-mapa

Dorothy recebe a visita de Glinda, a Bruxa Boa do Norte, que lhe concede um desejo por ter vencido a Bruxa Má do Leste, mas Dorothy só quer voltar para casa, então Glinda diz que ela deve procurar por OZ na cidade das esmeraldas para obter ajuda, então Dorothy segue através do caminho de tijolos amarelos rumo a cidade das esmeraldas. No caminho Dorothy conhece seus 3 futuros companheiros de viagem: O Espantalho, O Homem de Lata e o Leão. Até a chegada na cidade das esmeraldas onde mora OZ, muitas aventuras se desenrolam e passamos a conhecer os companheiros de viagem de Dorothy, e o que cada um deseja pedir a OZ.

“Não importa quão secas e cinzentas sejam nossas casas, nós, pessoas de carne e osso, preferimos viver lá do que em qualquer outro país, mesmo que seja bonito. Não existe lugar como nosso lar.”

“O Mágico de Oz” traz uma construção de mundo e de personagens muito bem feita, apesar de ser classificado como literatura infantil, o autor não trata crianças como seres frágeis, pelo contrário, violência, ganância e maldade é algo que está muito claro e é explorado no texto. Com uma linguagem simples e direta, nos deparamos com artinhas de manipulação da sociedade e com situações que nos mostram que, às vezes, já temos aquilo que procuramos.

“Mas já tive cérebro, e também coração. Assim, tendo experimentado os dois, prefiro mesmo ter coração.”

Se Dorothy e seus amigos vão conseguir tudo que almejam, vocês terão que ler para descobrir, mas adianto que vale muito a pena embarcar nessa aventura.

Essa história tem muitas edições publicadas no Brasil e eu li na edição da Zahar, que faz parte da coleção de luxo no formato edição de bolso capa dura, que contém o texto original integral e 50 ilustrações originais da obra, é muito bem diagramada, para quem interessar essa edição está sempre em promoção nos e-commerce da vida.

karina
Sobre karina

Biomédica por formação , bookaholic por paixão !

 

COMENTÁRIOS

  • Lara Caroline

    Oi Karina, tudo bem?
    Nunca li esta história, apesar de já conhecer pelas várias adaptações dos filmes. Não sabia que ela era uma adaptação americana de Alice, e tenho que concordar com você, eu sou #teamAlice. Não gosto muito desra história, não sei porque, mas talvez se eu ler o livro eu tenha uma impressão melhor.
    A edição deste livro é maravilhosa.
    Beijos