Especial Aviso de Gatilho: “Na Ponta dos Pés” – Brandy Colbert

EM Resenhas
karina
2 meses atrás

na-ponta-dos-pésLivro: Na Ponta dos Pés
Autora: Brandy Colbert
Tradução: Lavínia Fávero
Nota: 5/5
Editora: V&R
Páginas: 333

“Na Ponta dos Pés” foi o livro escolhido para ser o primeiro de um especial que entrará na nossa programação sempre na última segunda-feira do mês; nesse dia vamos procurar trazer livros que deveriam vir com um “Trigger Warning”, em tradução, um “Aviso de Gatilho”, livros que tenham uma temática que sempre se relacione com algo que perturbe ou levante a discussão de assuntos relacionados a saúde mental.

A história de “Na Ponta dos Pés” nos conta em primeira pessoa sobre a Theodora ou Theo, sobre seu amor por Ballet e a confusão que sua vida se torna após o termino do seu primeiro namoro e o sequestro do seu melhor amigo. O livro começa com Theo em seus 17 anos e acompanhamos a luta de seu transtorno alimentar e como foi seu processo de aceitação da perda do melhor amigo; de fofo e leve o livro só tem a capa.

“O Balé é a minha vida. Me sinto poderosa e intocável quando estou dançando.”

O livro é dividido em duas partes ambas narradas por Theo, na primeira parte conhecemos o caminho de Theo na busca de se encontrar após ter seu melhor amigo sequestrado aos 13 anos, já na segunda parte temos Theo decidindo o que fazer da vida pois escolhas pessoais e profissionais estão chegando e ela terá que decidir que caminho tomar. Muita coisa acontece nesse livro: balé, distúrbios alimentares, um amigo sequestrado, e um potencial interesse amoroso, mas a cada pedaço da trama que juntamos, faz com que essa história se torne sensacional, essa é uma história sobre adolescentes muito reais, tão reais que seu coração doí por não poder ajudar.

“Me apaixonei por ele tão rápido quanto amei aprender a dançar, as duas coisas ficaram ligadas para sempre.”

A construção dos personagens é muito bem feita, o plot gira em torno de situações comuns ao ensino médio, Theo é uma adolescente negra que mora em Ashland Hills, uma pequena cidadezinha nos arredores de Chicago, onde a maioria da polução é branca, ela não é a menina mais popular da escola, mas também não é invisível, fuma e frequenta festas típicas de adolescentes americanos, tem um círculo de amigos diferente na companhia de Ballet que estuda, tem pais amorosos e preocupados com o bem estar dela, e seus melhores amigos Phil, que vive reclamando da vida; e Sara-Kate, uma garota estilosa; ambos são sua companhia desde que Donovan foi sequestrado e precisa fazer isso tudo funcionar junto.

“Se conseguir manter minha força de vontade com a comida, posso fazer qualquer coisa.”

Essa é uma história sobre dar voz aos seus medos, não é nem uma celebração de falhas nem uma celebração de perfeição o que é sempre muito comum no YA, mas na medida, acerta o ponto através de que as falhas não condenam eternamente uma pessoa, a perfeição aqui tem seu preço.

Brandy Colbert conseguiu em seu primeiro romance abordar temas como sexo, estupro, síndrome de estolcomo, drogas de uma maneira que flerta muito com desespero de ter que tomar decisões na adolescência; com uma narrativa simples e cenários que já conhecemos de tantas outras histórias, esse livro acabou sendo uma história incrivelmente chocante, trágica e importante.

Na-Ponta-dos-Pes1

É incrível a honestidade que enxergamos numa protagonista que passa de uma criança confusa que foi manipulada e que passou por muitas situações traumáticas para uma adolescente que cresceu em meio a um outro grupo de pessoas que tomam algumas decisões ruins e algumas boas decisões, que têm talentos e defeitos, sentimentos e experiências que lutam para entender.

O que torna o livro 5 estrelas é mostrar como pessoas podem desparafusar uma vez e outra vez, mas finalmente chegam a seu próprio resgate, embora não sem apoio. O livro só não tornou se um livro favorito porque o final ficou um pouco corrido, embora todas as pontas soltas tenham sido amarradas eu queria saber mais sobre o Donovan, uma parte tão importante dessa história que quase não aparece.

O trabalho gráfico está impecável, os detalhes na edição são muito bem pensados e no final da história ainda contamos com uma nota do editor que nos avisa:

Se você ou alguém que você conhece está enfrentando alguns dos problemas que aparecem neste livro, por favor, saiba que não está sozinho. Tente conversar com um amigo ou parente de confiança. E, se isso não for possível, existem muitos profissionais que podem o ajudar.
No Brasil, a um telefone especial para receber denúncias de abuso infantil ou violência sexual contra crianças e adolescentes. É só discar 100. Você também pode procurar as Varas da Infância e da Juventude, as Delegacias de Proteção à Criança e ao Adolescente e as Delegacias da Mulher.

E há ainda instituições que tratam de transtornos alimentares informados no livro que são:

  • SÃO PAULO: Ambulim (Ambulatório de Bulimia e Transtornos Alimentares do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo). Disponível em: Ambulim
  • RIO DE JANEIRO: GOTA (Grupo de Obesidade e Transtornos Alimentares). Disponível em: GOTA
  • RIO GRANDE DO SUL: GETA (Grupo de Estudos e Assistência em Transtornos Alimentares). Disponível em: GETA
karina
Sobre karina

Biomédica por formação , bookaholic por paixão !

 

COMENTÁRIOS

  • Lara Caroline

    Oi Karina, tudo bem?
    Acho que todos os livros com temáticas pesadas deveriam vir com um selinho de “Trigger Warning” com certeza. Sempre fico incomodada com livros que trazem temas muito chocantes, mas esse livro me encantou por trazer assuntos tão importantes de serem abordados. Esse aviso no final do livro é sensacional.
    Beijos