“Post Mortem” é para os fãs de policial que adoram cenas fortes e descritivas

EM Resenhas
Glauce
2 meses atrás

Post-Mortem-Patricia-CornwellLivro: Post Mortem
Autor: Patricia Cornwell
Tradutor: Celso Nogueira
Série: Scarpetta – Livro 1
Nota: 4/5
Editora: Paralela
Páginas: 304

“Post Mortem” é o livro que deu origem a série “Scarpetta” escrito por Patricia Cornwell; é um thriller policial onde a protagonista é a médica-legista Kay Scarpetta. Nesse livro inaugural da série, a Dra. Scarpetta lidará com um serial killer que acaba de fazer sua quarta vítima e tem como modus operandi estrangular e estuprar. Porém, a cada caso, a brutalidade aumenta e a falta de provas preocupa as autoridades, a única pista é um brilho incomum presente no corpo das vítimas, que sugere uma substância desconhecida. A Dra. Scarpetta terá que lidar com pistas que não levam a lugar algum, enquanto tenda lidar com a suspeita de que sua investigação está sendo sabotada.

“Eu sentia pavor do período entre meia-noite e três da manhã, quando a sexta-feira se transforma em sábado e a cidade está inconsciente.”

No começo achei que a leitura não ia fluir, mas me enganei, adoro quando me engano com essas coisas. Depois de algumas páginas a leitura foi que foi. E o que contribuiu, ao meu ponto de vista, foram os detalhes, desde o passo a passo da criação do perfil psicológico do serial killer, até os processos de perícia e autópsias. Para quem queria ter feito medicina legal, o que era o meu caso, esse livro isso foi um prato cheio, mórbido em alguns momentos, mas mesmo assim muito legal.

Post-Mortem-Patricia-Cornewell1

Esse livro foi escrito em 1990, as tecnologias descritas durante a narrativa podem causar uma estranheza nos dias de hoje, ainda mais se você for da geração que nasceu depois da troca de milênio, então você provavelmente nunca precisou utilizar um disquete ou ir até um telefone público para fazer uma ligação, caso estivesse na rua, ou o que mais se fala durante o livro, um computador com modem para conexão discada, que detalhe, pouquíssimas pessoas o tinham.

O fato de Kay enfrentar preconceito desde a época da faculdade por ser mulher, ainda mais agora por estar em um cargo de chefia, como médica-legista chefe, foi um ponto que me chamou a atenção. Sua dedicação aos estudos e ao trabalho não eram bem vistos nem pela própria mãe.

“Sobreviver era a minha esperança, e o sucesso, a única vingança possível.”

Outro ponto que me chamou atenção foi a relação imprensa versus polícia. Ao longo da história a autora demonstra o quanto a imprensa pode ser destrutiva como também pode auxiliar, tudo depende de como as informações são transmitidas.

Um fator que eu não gostei foi com relação ao cigarro; 90% dos personagens são fumantes, e não é um cigarro aqui outro ali, não, são vários cigarros, um atrás do outro, é dentro do carro, no escritório, na rua, até na sala de autópsia. E são fumados por vários fatores, por convívio, por costume, ou na tecla que eles mais batem, por estarem estressados. O cigarro acaba sendo um escape.

“Post Mortem” se mostrou um livro surpreendente, tanto com os detalhes como o desfecho. Esse é um livro para os fãs do gênero policial, que não tem problema com cenas fortes e muitas vezes descritiva, apesar de achar que ela poderia ter sido mais detalhista com algumas coisas. Para um começo de série, a Patricia Cornwell começou com o pé direito; e a editora está de parabéns com a edição, muito bem revisada e com uma capa que condiz com a história e ainda é holográfica!

Glauce
Sobre Glauce

Sagitariana que ama sua liberdade física e emocional. Uma Biomédica Imunologista de formação, que nutri um paixão não tão secreta pela Bacteriologia e Aviação.... Viciada em livros, sendo uma bookaholic por opção e paixão, que sonha com o brevê... Uma pessoa que se pudesse passaria a vida em curso, uma hora aqui outra lá.

 

COMENTÁRIOS

  • Alessandra Fernandes

    Oi, Glauce! Tudo bem?
    Post Mortem, apesar de possuir muita fumaça de cigarro presente durante a narrativa, toda a investigação e suspense para saber quem é o serial killer, me fez querer fazer parte de toda a história.
    Gosto de livros que abordam com perfeição cenas tensas e este não irá me decepcionar, estou certa disso!
    Bjs!

  • Lara Caroline

    Oi Glauce, tudo bem?
    Achei a premissa do livro bem legal, este livro é bem do jeito que eu gosto, com bastante suspense o que faz a gente querer ler chegar ao final logo para saber o que vai acontecer. A capa é realmente muito legal e eu adoro azul. Já está na lista de desejados.
    Beijos