“A Garota Perfeita” é um thriller bem construído cercado de personagens complexos

EM Resenhas
Glauce
6 meses atrás

A-garota-perfeita-mary-kubica1Livro: A Garota Perfeita
Autor: Mary Kubica
Tradutor: Fal Azevedo
Nota: 4/5
Editora: Planeta
Páginas: 336

“A Garota Perfeita”, de Mary Kubica, narra a história de Mia, uma professora de artes de 25 anos, filha de um reconhecido advogado e agora juiz de Chicago, que ao levar um bolo do seu quase namorado, se vê saindo do bar com outro homem, que mais tarde ela descobre que foi contratado para sequestrá-la e entregá-la nas mãos dos mandantes do sequestro. Porém, na hora da entrega, o sequestrado desiste e foge com a Mia – por algum motivo que nem ele sabe explicar – para uma cabana no meio da floresta.

“E naquele momento Mia deixou de existir”

O livro será contato na primeira pessoa por três pontos de vista: Eve, a mãe de Mia; Gabe, o detetive designado para o caso; Colin, o sequestrador. A narrativa não segue uma cronologia, os capítulos se alternado entre Antes e Depois do retorno de Mia, porém, essas trocas de narrativa não deixam a narrativa confusa e nem cansativa, pelo contrário, instiga mais ainda, pois logo no começo do livro descobrimos que a Mia retorna para casa, mas não sabemos como isso irá ocorrer, vemos as consequências do tempo em cativeiro, mas não sabemos o que causou os traumas. Mia retorna para a casa sem se lembrar de nada do que ocorreu nos 3 meses que ficou na cabana.

“Ela é minha filha, mas não é. Ela é Mia, porém não é. Parece-se com ela, mas essa moça usa meias e bebe café, e acorda chorando no meio da noite. Responde mais rápido se a chamo de Chloe do que quando a chamo pelo seu nome. Ela parece vazia e letárgica quando acordada, e permanece insone quando deveria dormir. Deu um pulo de quase um metro de altura da cadeira quando liguei o triturador de lixo na noite anterior e, em seguida, retirou-se para seu quarto. Não a vimos por horas e, quando perguntei onde estivera todo aquele tempo, tudo o que conseguiu dizer foi não sei. A Mia que conheço não consegue ficar quieta durante todo esse tempo.”

O interessante do livro é que em momento algum nós temos o ponto de vista da Mia, as reações são contadas e interpretas por terceiros, e mostra que cada pessoa pode ser vista de várias maneiras, que assim como na vida real, o que para um pode ser a pessoa perfeita, para outra as atitudes e qualidades não se enquadram como perfeição.

a-garota-perfeita1

Conselho de amiga, se você é uma daquelas pessoas que costuma dar uma olhadinha na última página do livro, se contenha, se segure e não leia. Esse é um daqueles livros que tem que ser lido na ordem, direitinho, porque você vai passar o livro inteiro criando teorias, suspeitando de alguns personagens. Na metade do livro já poderia apostar o final, ainda bem que não apostei, pois errei feio e amei por ter errado, porque autora conseguiu surpreender. Então se controle, nada de trapacear na ordem da leitura…

“A Garota Perfeita” é um thriller bem construído, com personagens complexos que a cada capitulo revelam mais a sua psique e é uma história que irá te prender do começo ao fim.

Glauce
Sobre Glauce

Sagitariana que ama sua liberdade física e emocional. Uma Biomédica Imunologista de formação, que nutri um paixão não tão secreta pela Bacteriologia e Aviação.... Viciada em livros, sendo uma bookaholic por opção e paixão, que sonha com o brevê... Uma pessoa que se pudesse passaria a vida em curso, uma hora aqui outra lá.

 

COMENTÁRIOS

  • Alessandra Fernandes

    Oi, Glauce! Tudo bem?
    A Garota Perfeita mostra ser um suspense intrigante e muito surpreendente, não só pelo emaranhado de dúvidas e suspense intercalando o antes e o depois, mas também por a narrativa ser intercalada entre os personagens tornando a leitura muito mais envolvente.
    Conhecia pouco desta história, mas depois de ler a sua resenha procurarei para ler.
    Bjs!