“Apenas um Garoto” mostra a importância de assumir quem somos

EM Resenhas
yasmin
6 meses atrás

apenas-um-garotoLivro: Apenas Um Garoto
Autor:
Bill Konigsberg
Tradutor:
Rachel Agavino
Série: Apenas Um Garoto – Livro 1
Nota: 5/5
Editora: Arqueiro
Páginas: 256

Rafe é gay, desde os 13 anos ele não precisa esconder isso de ninguém e todas as pessoas que ama aceitaram isso normalmente – seus pais fizeram uma festa para comemorar sua ‘saída do armário’, sua melhor amiga já imaginava e ele não sofre bullying na escola. No entanto, apesar dessa aceitação que ocorreu devido à sua sexualidade, Rafe está cansado de ser visto apenas como o garoto gay, e por isso ele decide ir estudar num colégio interno só para meninos onde ninguém conhece seu passado, para que assim possa ser apenas um garoto normal. Porém, isso se torna problemático quando ele se apaixona por um dos meninos com quem faz amizade.

“Eu não queria mentir; só não queria ser o garoto cuja característica principal era gostar de garotos.”

Diferente do que eu imaginava ou esperava dessa história, esse livro não é apenas um romance de um garoto gay que ainda precisa se encontrar, mas sim é uma trama que debate toda a questão do preconceito; e como todas as pessoas, sem exceção, em algum momento vai julgar os outros sem conhecer a pessoa, mesmo que sendo para julgar um pensamento que você imagina que ele esteja pensando sobre você. Esse livro fala sobre a importância de assumirmos quem somos sem ter medo do que isso pode acontecer, pois definir quem somos, define o que queremos para as nossas vidas, e como é importantíssimo não julgar alguém por aquilo que imaginamos, pois isso pode te afastar dos outros.

apenas-um-garoto1

Rafe é um protagonista incrível, não porque ele é forte ou uma pessoa decisiva, mas porque ele é humano, ele é um adolescente que precisa aprender com seus erros e acertos e assim pode ir construindo seu caráter e se tornando uma pessoa melhor. Essa mudança dele de ser gay, depois não ser gay, mostra a importância de assumirmos quem somos, pois não podemos simplesmente deixar de ser uma parte de nós para se encaixar dentro de um padrão, nossas escolhas de vida definem nossa vida, nossos amigos e em alguns casos, até mesmo os nossos futuros.

“- Por que todo mundo tem que fazer alarde de tudo? Por que precisamos sempre rotular as pessoas?”

Bill Konigsberg é um daqueles autores que entraram para a minha lista de favoritos por saber falar de assuntos sérios de maneira suave e muito honesta, algo que faz você realmente debater sobre assuntos que consideramos normais, mas que muitas vezes representa a luta por liberdade e igualdade de algumas pessoas. Ele também mostra que ser diferente é normal, e que precisamos nos aceitar, mas verdadeiramente nos aceitar, e que os nossos pré-conceito não atinja os outros como não desejamos ser atingidos pelos preconceitos dos outros.

Adorei, um livro que realmente indico e estou na torcida para que a Editora Arqueiro publique a continuação dessa história, pois embora ela se encerra, seria incrível reencontrar esses personagens de novo.

yasmin
Sobre yasmin

Uma menina apaixonada por livros e que com eles já conseguiu passar por situações muitas vezes impossíveis.Curso a faculdade de jornalismo.

 

COMENTÁRIOS

  • Alessandra Fernandes

    Yasmin, esse livro parece ser bem interessante, principalmente pela naturalidade que trata a temática da obra. O protagonista parece ser muito bem aprofundado e a trama diferente, inesperada e incrível.
    Fiquei bastante curiosa com o livro e quero conhecê-lo em breve.
    Bjs!

    • Yasmin

      Depois que ler me fala o que achou 🙂

  • Lara Caroline

    Oi Yasmin!
    Desde que li a primeira resenha fiquei doida por este livro. Acho super importante livros que abordem essa temática e que fazem as pessoas pensarem um pouco a respeito dos seus preconceitos. Quero muito descobrir como Rafe lidou com toda a sua situação e como conseguiu passar por cima de tudo.

    Beijos

  • Halana Santos Silva

    Vi várias resenhas sobre esse livro… em todas, as pessoas falam muito bem sobre.
    Ainda não tive a oportunidade de ler, mas vou dar um jeito.
    A propósito, ótima resenha.

    • Yasmin

      Obrigada 🙂