Quando o resultado de 1+1 não é 2

EM Resenhas
karina
8 meses atrás

11-a-matematica-do-amorLivro: 1+1 A Matemática do Amor
Autor: Augusto Alvarenga e Vinicius Grossos
Nota: 4/5
Editora: Faro Editorial
Páginas: 252

Com um texto doce e descomplicado, acompanhamos uma amizade que existe desde sempre. É quase como a música do Cazuza, o destino dos nossos protagonistas está traçado desde a maternidade, Lucas e Bernardo são vizinhos, amigos e destinados a viver descobertas sobre matemática, amizade e amor. A história é narrada em primeira pessoa a partir da época em que os meninos têm 16 anos; quando recebem a notícia de que o pai de Bernardo recebeu uma proposta de trabalho e que a família toda irá se mudar para Portugal, e é a partir daí que a história se desenrola.

“A questão não era me mudar de casa, pais, continente. Não importava o lugar para onde eu fosse: se o Lucas estivesse comigo, tudo ficaria bem. No fundo, acho que o Lucas era a minha casa.”

Com capítulos curtos, alternados entre Lucas e Bernardo, é fácil conhecer os meninos e perceber o quanto são opostos, enquanto o Bernardo joga futebol, tem facilidade com números e tem muitos amigos no colégio (típico garoto popular); Lucas é mais introspectivo e se relaciona infinitamente melhor com literatura, e apesar das personalidades tão diferentes, é fácil entender como a amizade pode ser tão forte logo nas primeiras páginas.

“- É como se você fosse a minha bússola – falei, num suspiro engasgado que logo se transformou em lágrimas. – Quando estou com você… parece que finalmente tenho uma direção.”

Com a separação eminente, diante da proposta de trabalho do pai de Bernardo, e após o choque inicial do fato que estarão separados em breve, Lucas decide fazer das últimas férias deles juntos algo inesquecível. É durante esses 30 dias em que Lucas quer que sejam perfeitas que os meninos experimentam um sentimento novo, que os assusta até que compreendam o que acontece e por conta disso conhecemos um pouco dos personagens secundários; como Sarah, tia de Lucas e uma personagem muito bem construída, que já te conquista logo na primeira aparição; ela é intensa e está disposta a ajudar quem ama, quando descobrimos a real intenção dela dá vontade de guardá-la num potinho.

“Mesmo assim, tudo me lembrava o Bernardo. E cada vez que eu olhava o relógio era uma pontada no peito. Era um minuto a menos que eu passava com ele, um minuto mais perto do dia em que ele iria embora.”

O livro trata de descobertas e de como lidar com essas descobertas, ambos os pais dos garotos, durante esse processo, são o que esperamos que todos os pais sejam, eles apenas querem os filhos felizes. Eu já conhecia a escrita do Vinicius – que escreveu “Um Garoto Quase Atropelado”, também lançado pela Faro -, então já sabia que deveria esperar por um texto com uma carga emotiva/reflexiva considerável e não me decepcionei, amei a qualidade da abordagem contra a homofobia, achei perfeito o processo de não sexualização dos personagens e dos acontecimentos.

Num momento em que vivemos num mundo onde as pessoas estão divididas entre: as que entendem e respeitam as diferenças (sejam elas quais forem), e as que simplesmente ignoram e condenam qualquer um que não se encaixe no padrão de normalidade decidido pelo próprio, o livro cumpre magnificamente bem o propósito de nos convencer de que amor é amor e não precisa de regras para amar.

“Somos como o yin e o yang. Eu sou como o sol, o Lucas é a noite. Eu sou o achocolatado, o Lucas é o café. Eu sou do verão, o Lucas, do inverno. Eu sou da matemática, o Lucas, do português. Eu o ajudo a entender que 1 + 1 é igual a 2, mesmo que ele teime em afirmar que em alguns casos 1 + 1 pode vir a se tornar 1.”

A edição/diagramação feita pela Faro é a cereja do bolo, com ilustrações entre os capítulos, relevo e verniz localizado na capa e uma folha de guarda toda trabalhada, faz com que a experiência de leitura seja ainda mais rica. E para quem ficou com gostinho de quero mais, em breve aqui no LI teremos uma entrevista com o Vinicius que foi feita na última Bienal do Livro de São Paulo.

karina
Sobre karina

Biomédica por formação , bookaholic por paixão !

 

COMENTÁRIOS

  • Lara Caroline

    Olá!
    Aaaah que livro mais fofinho, não conhecia o Vinicius ainda, e fiquei bem curiosa para ler este livro. A capa é uma gracinha, e eu tenho um carinho especial por livros caprichados sabe? Adorei, já está na lista de desejados.
    Beijos

  • Alessandra Fernandes

    Karina, eu também conheci a escrita de Vinícius através do livro, O Garoto Quase Atropelado, e imagino o quanto este último lançamento foi agradável de ler. Além de tratar de um tema forte, percebo o quanto a trama é cercada de sentimentos e reflexões, e desta forma, estou com ótimas expectativas sobre a história.
    Bjs!