Filme X Livro: “Inferno”

EM Colunas
yasmin
9 meses atrás

filmexlivro-inferno

Já é de conhecimento geral que quando um filme é baseado ou adaptado de um livro ocorre algumas mudanças, algumas sutis e outras gritantes, o que é motivo de revolta para quem leu o livro.

A obra da vez a ser comparada é “Inferno”, escrito por Dan Brown e adaptado para o cinema pelo diretor Ron Howard, tendo sua estreia mundial no último dia 13. Ao longo do post irei citar as 5 diferenças mais marcantes na adaptação…

1 – Madeixas da mulherada…

Sim, cabelo pode parecer uma coisa boba, mas são características marcantes ao longo do livro, e ocorreu 3 modificações. Vou explicar. 1º: A Drª. Sienna Brooks é descrita como “loira de rabo de cavalo”, e detalhe, esse cabelo loiro é peruca, devido a eflúvio telógeno – uma alopecia relacionada ao estresse. 2º: Drª Elizabeth Sinskey, Langdon passa boa parte do livro se referindo a ela como “a mulher de longos cabelos prateados”, e não é só Langdon que se refere a ela assim não. E 3º: Agente Vayentha é a “mulher de cabelos negros espetados”
No filme temos uma Drª Sienna morena de cabelo solto, a Drª Elizabeth para alguém com 61 anos, não tem um único fio branco, quem dirá um cabelo prateado. E a agente Vayentha, continua morena, porém tem cabelos lisos e presos penteados para baixo.

2 – Trocamos de corpo…

Nossa Sienna de papel é bem mais resoluta em ajudar Robert do que a Sienna das telonas…
É ela que é contra ao Robert ligar para a polícia e consulado, é ela quem quer abrir o cilindro. Não o Robert, ele é contra a abertura e quer por que quer ligar para o consulado americano. E por falar em Robert, uma pequena observação, os lapsos de memória se restringem a apenas aos acontecimentos dos dois últimos dias, não ao ponto de lembrar o próprio nome e não lembrar do café.

inferno-filme

3 – Olá, quem é você?

Alguém sabe o paradeiro de Christoph Brüder e Jonathan Ferris? Não! Calma, você não está tendo lapso de memória igual a Robert Langdon, você não deu uma piscada um pouco longa de mais ao longo do filme, nada disso, eles simplesmente foram cortados da adaptação. Isso mesmo, o agente bruto e violento do Suporte ao Monitoramento e Crise (SMI) e o agente da Organização Mundial da Saúde (OMS) não existem no filme. Porém, surge o Christoph Bouchard. Quem é ele? É o personagem que praticamente desempenhou o papel dos dois outros que foram excluídas da telona.

4 – Mata ou não mata?

Passamos o livro/filme inteiro correndo contra o tempo para impedir que um vírus mortal se espalhe pelo globo dizimando uma grande parcela da população mundial, correto? 50% correto. Mas, como assim 50% correto? Simples, o vírus do livro é diferente do vírus do filme. Enquanto o vírus do longa é mortal, o das páginas tem outra “função”.

5 – O que é que está acontecendo aqui?

Apresento-lhes a diferença mais gritante, que deixaram parte das pessoas que leram o livro revoltadas…
Conseguem adivinhar o que deixa um leitor revoltado? Quem disse mudança no final da trama acertou. Isso mesmo, eles alteraram TOTALMENTE o final da trama, suavizando e até tornando um pouco feliz/romantizado o final fatalista e sombrio que tem o livro. O que eu achei um possível tiro no pé, mas…

E vocês que leram o livro, quais as diferenças que mais te incomodou?

yasmin
Sobre yasmin

Uma menina apaixonada por livros e que com eles já conseguiu passar por situações muitas vezes impossíveis.Curso a faculdade de jornalismo.

 

COMENTÁRIOS

  • Alessandra Fernandes

    Yasmin, eu vejo que as diferenças entre livro x filme é realmente gritante. Não tive a oportunidade, nem de ler o livro, nem de assistir ao filme, mas quero em breve conferir essas grandes diferenças, que percebo, irão me incomodar :/
    Bjs!

  • Lara Caroline

    Oi!
    Não li o livro ainda, e não é muito difícil encontrar diferenças do livro x filme. O que eu me lembro de mais gritante foi Percy Jackson que na minha opinião o filme foi ridículo. Espero que essas pequenas alterações com exceção do final, não mudem muito o sentido da estória que estou doida para conferir.
    Beijos

    • Yasmin

      Percy Jackson foi épico nessas diferenças.

  • Verônica

    Imagine uma pessoa revoltada com uma adaptação? Eu sou essa pessoa.
    Ok, sempre haverá diferenças entre livro x filme! Não sei nem pq perco tempo vendo os filmes adaptados, mas… É até “aceitável”. Mas dai a modificarem tudo?
    Os cabelos foi a primeira coisa que notei e não gostei. Segue e tiram 2 personagens e colocam um inexistente. No livro acaba havendo um companheirismo, uma química boa entre Sienna e Robert. No filme ela não gera um pingo de simpatia. Demonstra não gostar de Robert de cara.
    A Sienna que acaba sendo compreendida no livro vira uma traidora sem carisma no filme.
    O diretor do consórcio vira um assassino eficaz e acaba morto. De onde tiraram isso?
    E ai vem a grande porcaria do final. Não falam a função do vírus. Vira uma coisa que vai dizimar 50% da população. 50%? Nem o rai da quantidade conseguem respeitar? No livro seria 1/3 da população estéril. Sienna morre, o vírus é contido e rola um crush inexistente.
    No livro, sinceramente eu gostei do Bertrand e acho a teoria válida. Até gostei do vírus ter sido liberado e que realmente seria um bem para a vida humana (e de outras espécies) na terra.
    Enfim, desisto realmente de ver adaptações. Relutei pra ver esse, pois sabia que não ia gostar. Só não imaginei que ia odiar.