“Passarinho” é uma história que ainda te acompanha depois da última página

EM Drama
karina
9 meses atrás

Passarinho-capaLivro: Passarinho
Autor: Crystal Chan
Tradução: Thaís Paiva
Nota: 4/5
Editora: Intrínseca
Páginas: 219

Em “Passarinho” conhecemos a história de Joia, uma garota que teve seu nascimento marcado pela morte de seu irmão John. Enquanto nascia, o garoto, que sempre acreditou em poder voar, se jogava do penhasco e marcava a vida de sua família para sempre.

“Não gosto de chorar na frente das pessoas, porque isso revela os buracos que temos por dentro.”

Joia não tem um nome comum como tinha John (seus pais dizem que é porque ela é preciosa, Joia acha que é porque começa com J de John e John que tinha um nome comum agora está morto). Foi o avô de Joia que apelidou John de passarinho e desde a morte de passarinho, o avô de Joia não fala, todos culpam o avô pela morte de John (passarinho), e Joia teve que crescer na sombra desse fato, ouvindo sobre ele, vendo dia após dia como sua família se destruía por um garoto que ela sequer teve a chance de conhecer.

“(…) Se você entrega muito de si a alguém, rápido demais, essa pessoa pode simplesmente ir embora e levar tudo. E quando se trata de alguém como eu, que já não tenho muito de mim, bem, é preciso ter cuidado redobrado.”

Mas como nem tudo é uma tristeza sem fim, Joia encontra seu refúgio no mesmo penhasco aonde o irmão “voou”. Como Joia quer ser geóloga e é obcecada por pedras ela tem o hábito de enterrar pedras e com elas as suas tristezas e dúvidas. Em uma noite que estava voltando para casa do penhasco, ela conhece um garoto no alto de uma árvore, um garoto que por incrível que pareça também se chamava John. É aí que começa uma grande amizade entre essas duas crianças; enquanto o avô está convencido de que esse novo amigo é um duppy (um espírito maldoso), Joia sabe que isso não é verdade.

“Nunca havia dividido um silêncio com ninguém. Em minha casa, empunhamos o silêncio como espadas e escudos: nós o usamos para afastar e machucar as pessoas.”

Este é o livro de estreia de Crystal Chan e ela nos traz uma história com uma narrativa em primeira pessoa que é simples, direta e tão cheia de sutilezas que esse é um daqueles livros que não prometem muitas coisas, mas a cada página virada é um passo a mais para entrar para a lista de favoritos.

É uma história diferente que aborda culturas diferentes (adorei saber um pouquinho mais sobre a cultura Jamaicana e Mexicana), ao mesmo tempo que trata assuntos que já conhecemos como dor, fé, luto e família; definitivamente é uma história feita para emocionar e vai fazer com que pensemos mais sobre como lidar com a raiva e dor.

“Quando algo que você ama é tomado de você, as palavras são inúteis. De que adianta as palavras se elas são vazias, impotentes ou falsas? Por que não ficar em silêncio até o último momento da eternidade?”

A evolução no relacionamento de Joia e Vovô nos comove e restaura a esperança de encontrar amor e redenção em tudo para seguir em frente e como diz na sinopse: “[…] talvez em John esteja a chave para quebrar a maldição que recaiu sobre sua família desde que Passarinho morreu”. Recomendo muito esse livro e espero que a leitura seja tão linda, leve e densa como foi pra mim.

karina
Sobre karina

Biomédica por formação , bookaholic por paixão !

 

COMENTÁRIOS

  • Alessandra Fernandes

    Karina, eu até então não conhecia este livro da Intrínseca, porém fui completamente arrebatada por sua resenha.
    Logo no começo, senti que a narrativa nos traz uma história cheia de dramas e sentimentos, e tudo se confirmou quando conclui a sua resenha. Sou fascinada por histórias que trazem um grande ensinamento, e desta forma procurarei, assim que possível, Passarinho para ler.
    P.S: Que quotes lindos!
    Bjs!

  • Cris Setúbal

    Oi Karina, esse livro parece ser de uma sensibilidade única, que nos emociona a cada página. Adorei a resenha e fiquei curiosa pra saber um pouco mais sobre esse livro. Espero ter a chance de ler em breve. Beijo!

  • suzana cariri

    Oi!
    Já tinha visto esse livro antes e ficado bem interessada, parece ser uma historia linda e bem comovente achei legal como a autora usa essa historia para poder tratar sobre esses temos de uma forma que chegue ao leitor e adorei essas culturas que encontramos no livro !!