Conversando com Kody Keplinger… O que é ser uma “Duff”

EM Colunas
yasmin
11 meses atrás

“Duff” – um dos nossos livros favoritos – fala sobre bullying, problemas familiares e o velho problema de dividir as pessoas em grupos. Por amarmos essa história, a entrevista desse mês será com ninguém menos que Kody Keplinger!

Divertida e muito simpática, ela respondeu algumas das nossas perguntas, além das que vocês enviaram. Comentou um pouco sobre os personagens e o que achou da adaptação de “Duff”!
Confira a entrevista traduzida pela Leilane Garcia!

duff-livro2

1 – “Duff” é um livro que fala sobre a vida de uma adolescente que quer ser mais que a “Duff” do grupo, no entanto, qualquer mulher – em várias fases da vida – pode se identificar com a Bianca. Como foi escrever algo tão atemporal?
Quando eu tinha 17 – ainda no ensino médio -, eu conheci a palavra “Duff.” Não foi algo que inventei. Era uma palavra que realmente estava sendo usada. E em um primeiro momento, eu pensei que eu era uma – pensei: sou a amiga feia e gorda por designação. Entretanto, depois de conversar com meus amigos sobre isso, percebi que todos se sentiam daquela maneira de vez em quando. Mesmo que não tivesse relação com sua aparência – talvez você se sinta o menos talentoso de todos ou que você não é o mais inteligente. Todos se sentem frágeis de tempos em tempos. E quando percebi o quanto isso é universal, soube na hora que queria escrever sobre isso.

2 – Bianca e Wesley são o casal mais improvável perfeito que já li! Qual foi o momento mais divertido de escrever sobre eles?
Ah, nossa, esta é uma pergunta difícil! Eu me diverti em quase todas as cenas nas quais os dois estavam apenas conversando. Eles fazem aquela troca super rápida em seus diálogos, e eu queria que fosse divertido e engraçado. Então escrever essas cenas foi tanto divertido quanto desafiador!

3 – Você mudaria alguma coisa nos seus personagens?
Esta complicou mais. Acho que cada autor, depois de um tempo e afastamento, pode acabar pensando em coisas que mudariam em seu primeiro livro. E acredito que essa seja uma boa coisa – significa que você se aprimorou e cresceu como um autor. Ao mesmo tempo, eu amo tanto esses personagens. Eu me sentia (e ainda me sinto) muito ligada a eles. Então mesmo havendo algumas coisas que eu provavelmente mudaria na história, acredito que não mudaria os personagens. Pelo menos não as personalidades deles. Mas gostaria sim, pensando em retrospecto, que os personagens fossem mais diversificados. Esta é uma área que o filme aprimorou por meio do elenco e estou muito feliz por terem feito isso.

4 – O que você achou da adaptação estilo Meninas Malvadas?
Eu amei o filme! É diferente do livro, e entendo por que algumas pessoas podem ficar surpresas ou talvez desapontadas com isso. Entretanto, eu o considero engraçado e charmoso, e o elenco é maravilhoso. E acho que, no final das contas, os mesmos temas estavam ali. Apenas o caminho para chegar lá que foi diferente.

duff-filme

PERGUNTA DOS FÃS!

5 – Onde você ouviu pela primeira fez a palavra “Duff”? (Yan Santos)
Oi, Yan!!
Eu escutei este termo pela primeira vez na lanchonete da minha escola. Uma garota que eu conhecia estava falando sobre seu fim de semana e mencionou que alguém chamou uma de suas amigas de “Duff.” Eu perguntei para ela o que aquilo significada e quando ela me disse, fiquei horrorizada.

6 – O que você achou da capa brasileira de “Duff”? (Leilane Garcia)
Oi, Leilane! Eu a amei também. Esta é uma das minhas partes favoritas de ter meu livro publicado em outros países – eu amo ver as capas! E a brasileira é tão diferente e descolada!

Perguntas rápidas. Qual a característica que você gosta de…

Bianca Piper – Independente
Wesley Rush – Inteligente
Jessica – Otimista
Casey – Leal
Toby – Ambicioso

yasmin
Sobre yasmin

Uma menina apaixonada por livros e que com eles já conseguiu passar por situações muitas vezes impossíveis.Curso a faculdade de jornalismo.

 

COMENTÁRIOS

  • Karina Carvalho

    Não conheço a capa americana , mas sou apaixonadaaaa pela brasileira , e esse marcador é ESPETACULAR <3 pena que não é todo mundo que consegue um desses; ainda não li o livro mas já vi o filme …então nem tem como me decpecionar com o filme uhsuhuahushuas porque eu já o adoro ! Que venha o livro pra eu poder por a cereja do bolo *_*

  • Cris Setúbal

    Eu adorei a entrevista, a Kody parece ser super simpática *-*

    Esse é um dos livros que está na minha lista, e já ouvi muitos comentários positivos sobre ele. Eu ainda não assistir ao filme, e achei fofa a Kody ter gostado da adaptação, mesmo sendo um pouco diferente do livro. E essa capa é realmente muito linda, e o que falar desse marcador?! Maravilhoso!!

  • David Galan

    Autores(as) que são disponíveis para responder os leitores é tão agradável, mostra respeito aos fãs. Eu li a resenha, vi o vídeo que você cita as diferenças entre o filme e o livro, agora vendo a entrevista com a autora decidi que vou ler, foge um pouco do que estou acostumado, mas vendo como foi o processo de escrita, a Kody dizendo que realmente a palavra já foi usada e ela ouviu isso, a construção dos personagens, para um primeiro livro conseguiu se sair muito bem que continue assim nos próximos!

    • Yasmin

      Esse livro é incrível, sério.

  • André Dos Santos Galdino

    Primeira vez que estou vendo algo sobre o livro, fala de
    bullying e aceitação, a autora fala respondendo uma pergunta que todos nós nos
    sentimentos descontentes com algum aspecto da vida em algum momento e é
    verdade, por isso é tão importante nos conhecermos e nos aceitarmos, o filme
    não agradou todos pelo que foi perguntado, mas se passou a mensagem que era
    desejada, valeu a pena. Vou ver esse fim de semana o filme e depois procuro o
    livro.

    • Yasmin

      Depois que assistir o filme me fala o que achou 🙂