Com um trabalho gráfico maravilhoso e uma história comovente, “A Bailarina Fantasma” é um livro de babar de tão encantador

EM Resenhas
juliana
1 ano atrás

A Bailarina Fantasma - Socorro Acioli

Livro: A Bailarina Fantasma
Autora: Socorro Acioli
Série: Anabela em quatro atos – Livro 1
Editora: Seguinte
Páginas: 192
Nota: 5/5 – favorito

“A Bailarina Fantasma” nos apresenta a Anabela, uma garota que perdeu a mãe e mora apenas com o pai. Ele é um arquiteto, mas tem dificuldade para conseguir trabalho, já que não gosta nem um pouco de todos aqueles metais e vidros azuis que as pessoas costumam querer utilizar nas construções modernas. Mas surge uma oportunidade que ele não pode deixar passar: um concurso para definir o responsável pela reforma do Theatro José de Alencar, o mais antigo de Fortaleza. Como ninguém chega nem perto de saber tanto quanto ele sobre o local, é o escolhido para o trabalho.

Então ele comunica sua filha que ela o acompanhará ao teatro todas as tardes, e que naquela mesma noite assistirão a um balé que marcará o início da obra. Durante o espetáculo, Anabela não consegue tirar os olhos de uma bailarina toda vestida de azul que dança de uma forma bem mais encantadora. Acaba descobrindo que só ela a vê, e que a garota é um fantasma com assuntos mal resolvidos. Mas como uma simples garota como ela vai conseguir lidar com algo tão assustador e complicado?

Conheço esse livro há bastante tempo, desde que foi lançado por outra editora e ainda não fazia parte de uma série. Mas confesso que sempre imaginei que fosse um livro juvenil inofensivo, que eu leria apenas para passar o tempo. Qual não foi minha surpresa quando me peguei chorando no final! Um pouco antes tinha percebido que estava engasgada e segurando as lágrimas, mas na última cena simplesmente não me aguentei. Foi muito emocionante.

O enredo não é nem um pouco parecido com o que eu esperava. É muito melhor. Não aconselho a leitura para crianças, acredito que é melhor que seja lido no mínimo por pré-adolescentes, porque alguns personagens chegam a ser bem cruéis e inescrupulosos, e não demonstram nenhuma noção do certo e do errado. Um deles é, basicamente, a personificação do egoísmo.

O trabalho gráfico ficou simplesmente maravilhoso. É de babar de tão encantador. Até a fonte ganhou cor, ela é azul-escura, e as folhas são amareladas. Ficou linda a forma como trabalharam o início dos capítulos, e aproveitando o fato da história se passar em sua maior parte dentro de um teatro, o livro foi dividido em três atos, que se dividem em capítulos. Amo essa capa, e cada início de ato ganhou uma ilustração especial também. A revisão está perfeita.

Parte do livro é narrada em terceira pessoa, e parte em primeira pessoa, o que permite que várias personagens ganhem voz. Principalmente quando a melhor amiga de Anabela decide investigar a respeito da tal bailarina, e sai entrevistando várias pessoas que, então, têm a oportunidade de falar diretamente com o leitor.

Fui surpreendida várias vezes pela autora. Realmente não tinha a expectativa de encontrar tantas reviravoltas. A história foi muito bem trabalhada e o livro não ficou com pontas soltas. O gancho para o próximo volume é o fato do pai da Anabela ser contratado para cuidar da reforma de outro teatro, desta vez em São Paulo. Mal posso esperar para ler.

juliana
Sobre juliana

 

COMENTÁRIOS

  • João Victor Muniz

    Parece interessante, o trabalho gráfico pela capa que gostei bastante deve ter ficado bom mesmo. Hahaah bailarina fantasma parece até mesmo de terror. heheh mas parece ser daqueles livros legais e leves.

  • suzana cariri

    Oi!
    Quase todas as pessoas que vi que leram essa historia acabaram se surpreendendo e gostando muito da historia e lendo essa resenha realmente fiquei com muita vontade de ler esse livro da Socorro Acioli !!

  • David Galan

    Depois de saber o trabalho cuidadoso da Seguinte, na fonte, nas páginas e na edição em geral, combinado com uma história que traz os mais variados elementos, confesso que me encantei pelo livro, não sabia qual era a história, um livro curto e capaz de nos emocionar, acho que o a grande sacada é a quantidade de páginas, não cansa o leitor e consegue ditar um ritmo bom na narrativa, agora vou precisar ler para saber qual assunto mal resolvido a bailarina tinha e se a menina conseguiu ajudar!

  • Lúcia Aquino

    Não é a primeira vez que ouço falar nesse livro e antes ele não tinha chamado a minha atenção. Como você eu achei que era um livro infantojuvenil, mas com a sua resenha e com esse trabalho tão cuidadoso da editora, não posso deixar de colocar o livro na minha lista de desejados.